Liaise oferece P&D para aumentar a produtividade das empresas

A nossa última entrevista da série Comunidade P7 é a com os diretores da Liaise. Fundada em 2011, a empresa tem foco em Pesquisa & Desenvolvimento (P&D) e trabalha com mestres e doutores em cada um dos seus projetos, que pesquisam e desenvolvem soluções para serem usadas no mercado corporativo.

O P7 Criativo conversou com o Diretor de Operações, Arlindo Pereira, e o Diretor Científico, Fernando Parreiras, sobre os atuais projetos. A Liaise oferece à iniciativa privada um formato de trabalho que é mais comumente conhecido em instituições acadêmicas e centros de pesquisa internacionais, que ainda tem muito potencial para crescer no país.

Entre suas áreas de atuação estão concepção, elaboração e construção de modelos, processos e sistemas de informação de: gestão de ativos, manutenção preditiva de equipamentos, apoio à decisão e gestão de projetos de P&D. Também trabalha com arquitetura organizacional, gestão da inovação e extração e integração de informações de projetos para base de conhecimento. Entre as suas competências estão Data Science and Machine Learning, Data Management, Business Process Services, Digital Desing, DigitalOps, Desenvolvimento Humano e Gestão do Conhecimento.

“Nós fazemos esse meio de campo entre o acadêmico e o mercado e trazemos todo esse conhecimento dos pesquisadores para ser aplicado no dia a dia corporativo. Esse é um mercado muito promissor em outros países do mundo, mas ainda pouco aproveitado no Brasil. É uma forma de levar a pesquisa para além da sala de aula e das universidades e colocá-la em prática, explica Arlindo Pereira.

Aprendizado totalmente personalizado

Atualmente, quase a totalidade (95%) dos projetos da Liaise vem de parcerias com empresas privadas do setor energético, como a Cemig. A empresa está entregando neste momento alguns projetos importantes e bastante inovadores que foram desenvolvidos sob demanda e se mostram ainda mais pertinentes em tempos de pandemia e educação remota.

Um deles é o D595, ou Desenvolvimento de Conhecimento Tácito e Alternância Pedagógica na Formação de Profissionais para atuação no setor elétrico. Uma plataforma de aprendizado baseada em realidade virtual e realidade aumentada, que possibilita que um funcionário possa aprender, por exemplo, como montar e desmontar um transformador a distância.

Essa plataforma foi desenvolvida antes da pandemia, mas que se mostrou ainda mais relevante e inovadora agora. Os treinamentos presenciais puderam ser substituídos por formatos digitais com soluções adaptadas a cada grupo.

“Começamos a trabalhar dados online e analíticas de aprendizagem para personalizar esses treinamentos de acordo com cada demanda, tempo, dificuldade e competências que precisam ser desenvolvidas. As soluções são desenvolvidas sob medida e capturam todos os aspectos da experiência do usuário: coleta todos os dados de onde ele clicou, o que leu, quanto tempo gastou, as questões que mais acerta e que mais erra e quais as competências que já possui ou precisa desenvolver. Essa experiência permite registrar tudo. Mapear o movimento dos olhos, gerar mapas de calor e ver em que parte da tela mais se concentra a atenção das pessoas. Todo esse volume de dados permite uma análise personalizada e acurada de cada usuário e de como ele responde ao que está vendo e ouvindo. Com isso em mãos, é possível gerar conteúdo sob medida para qualquer área do conhecimento, além de várias outras possibilidades”, adianta Fernando Parreiras.

Outro projeto de destaque da Liaise é dedicado à gestão administrativa das empresas. Quando há uma mudança na direção, por exemplo, é preciso readequar as agendas, reapresentar os projetos e readaptar os planos de prioridade de acordo com os novos dirigentes. A solução da Liaise é uma matriz de priorização que realiza uma análise do impacto e esforço de cada projeto e indica quais os mais fáceis de implementar. Ou seja, seleciona e prioriza aqueles que geram mais impacto com menor esforço.

“O setor de pesquisa e desenvolvimento é um mercado muito pequeno no Brasil e não temos muitos recursos para trabalhar. A grande maioria da população não sabe que pode ser remunerada para fazer pesquisas mas, aos poucos, vamos tentar mudar essa realidade e expandir o conhecimento para que as empresas possam diminuir seus custos e aumentar sua produtividade”, acrescenta Fernando.

Liaise
https://liaise.com.br/

Compartilhe:
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on google

Conteúdo Relacionado