Confira o que está em alta no setor de móveis

Pesquisas recentes indicaram que até o ano de 2030, haverá mais de 500 cidades com mais de um milhão de habitantes no mundo. A urbanização está sempre definindo os novos hábitos e tendências e dentro dessa perspectiva, o foco está voltado à otimização das estruturas urbanas existentes para melhorar a qualidade de vida. Os espaços estão menores, mas também mais integrados e desde o início da pandemia (e mesmo antes em menor escala) as casas se transformaram também em ambientes de trabalho. O mobiliário também se adapta e acompanha essa evolução e selecionamos algumas microtendências que devem continuar em alta até a próxima década:

1 – Dois em um (funcionalidade acima de tudo. Espaços reduzidos pedem melhor aproveitamento como escrivaninha com porta-objetos, opções retráteis e móveis camuflados são alguns dos exemplos).

2 – Automação residencial (entre as grandes tendências da casa tecnológica estão a abertura de portas e gavetas por toque, controle de temperatura de ambiente, aquecimento de piso, controle da iluminação interna e externa por meio de smartphones, bem como o manuseio à distância de cortinas, ar-condicionado e outros equipamentos).

3 – Estruturas tubulares (o estilo industrial inspirado nos lofts nova-iorquinos trouxe para as residências as paredes de tijolo aparente, as lâmpadas de filamento e as estruturas tubulares, que consistem em estantes com bases em MDF ou MDP fixadas em alumínio. Elas podem ser usadas em salas, escritórios e também sobrepostas às ilhas na cozinha, atuando como um móvel decorativo, de divisão de espaços ou de apoio para o preparo dos alimentos).

Compartilhe:
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on google

Conteúdo Relacionado